Quantos anos tem que nós nos casamos ???

Daisypath - Personal pictureDaisypath Anniversary tickers

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Celso, Feliz Aniversario!

Celso,
Amor, " Coronel So ", fiz um texto meio besta para postar em nosso blogue!
Estou muito emocionada por ver você completar 58 anos... Você já está mais pra lá do que pra cá!!!
Olha, amor, eu quero te agradecer, agradecer muito por tudo o que conquistamos até hoje, agradecer pelo homem bom que você é, bom filho, bom pai, bom avô e bom marido!
As vezes, quase sempre, nos estranhamos e isto anda desgastando a gente, mas no fundo nós somos felizes!
Quero te desejar muitas felicidades, vida, saúde, paz, prosperidade e muitos anos de vida...
Feliz Aniversario!!!
Te amo! Bjs




Que vida boa, meu Deus! Muito obrigada!

"Eita vida besta, meu Deus!"
Tenho 52 anos e sou feliz. Percebi a minha idade somente ontem... Eu achava que ainda tinha 50!
Tenho netas, poucos amigos, uma grande família e um amor, que hoje está completando 58 anos.
Tenho também, bem à minha frente, dois ovos fritos e um pão. Ah, um copo de coca-cola! E, enquanto contemplo extasiada este prato simples, mas que irá matar a minha fome, lembro-me das crianças de rua, dos deficientes físicos, dos órfãos, das viúvas e dos oprimidos. Lembro-me dos meninos na favela, empunhando metralhadoras como se fosse brinquedo e lembro-me dos viciados, dos desempregados, dos infelizes, dos rotos, dos detentos, dos loucos e dos rebentos.
"Eita vida besta, meu Deus!"
A gema do ovo, molhada ao pão, derrete na boca.
Tenho 52 anos, meu marido 58 anos e somos felizes!?!?!
E não deixarei que esta felicidade morra na gente. Nunca.
O que nós, dois velhinhos, temos com o desconserto do mundo?

Diga, Drummond: que temos nós?!?
E você nos responde com a ternura de quem afaga um filho:

"Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida..."

Carlos Drummond de Andrade



Cláudia Lins Lima Leal

Enviado via iPhone


- Posted using BlogPress from my iPhone

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Aquela Velha Canção



Quando eu te ligar cantando aquela velha canção
Não diga que estou enganada, estou resolvida
Vou dar férias pro meu coração
Confesso que fiquei magoada, eu fiquei zangada,
Mas agora passou, esqueci
Eu não vou te mandar pro inferno porque eu não quero
E porque fica muito longe daqui

Quando eu te ligar cantando aquela canção
Pra te desnortear, te ferir com carinho
É pra fazer doer no seu ouvido - a nota melhor do nosso amor
Quando eu te ligar cantando aquela canção
Não diga que não sente nada
É pra fazer doer no seu ouvido - a nota melhor do nosso amor

Alô, a lua, alô, amor. Alô, a lua, alô, a lua, amor ...